Sala Aberta

…para discutir o uso mídia e TIC na educação

Arquivo de Escola Municipal André Urani

GENTE] Novo modelo de escola coloca o aluno no centro do aprendizado

Com o objetivo de repensar o que é a instituição Escola, o projeto GENTE foi criado propondo ensino personalizado, projetos transdisciplinares, avaliação baseada em competências e uso de tecnologia digital

Em sala de aula, alunos são divididos em famílias e estudam a partir de aulas digitais da Educopédia, utilizando tablets e lap tops.| Foto: Grupo do Rio

Em sala de aula, alunos são divididos em famílias e estudam a partir de aulas digitais da Educopédia, utilizando tablets e lap tops| Foto: Grupo do Rio.

Por Talita Moretto

Imagine uma escola sem séries e salas de aulas sem mesas individuais enfileiradas. Imagine alunos estudando em grupos e sendo ensinados em “famílias”. Este método já existe e tem um nome muito acolhedor: GENTE – Ginásio Experimental de Novas Tecnologias. Trata-se de um projeto inovador, idealizado pela Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SME), e realizado em parceria com empresas, fundações e institutos sociais. A Escola Municipal André Urani, na Rocinha (RJ), foi a primeira a receber o método, em fevereiro deste ano.

Segundo o subsecretário de novas tecnologias educacionais da SME Rio, Rafael Parente, o GENTE surgiu durante discussões com professores e alunos nas redes sociais. “Nessas conversas, concluímos que precisávamos de um novo tipo de escola”, comenta.  Por isso, a proposta do GENTE é mudar o conteúdo, o método e a gestão: não haverá turmas, anos ou salas de aula. Tablets e smartphones farão parte do material escolar dos alunos e docentes. O conteúdo, as habilidades e as competências serão desenvolvidos nas aulas digitais da Educopédia (www.educopedia.com.br) – plataforma que inclui material de suporte para professores, como sequências didáticas com jogos digitais, vídeos e testes. As provas serão aplicadas por meio do sistema avaliativo Máquina de Testes e a correção será automática, com resultados imediatos.

Parente, que possui PhD em educação e atua como educador há 18 anos, ressalta que o intuito do projeto é “criar um novo conceito de escola que realmente personalize o processo de aprendizagem, colocando o aluno no centro deste processo. Queremos chegar a 120 GENTEs até 2017”. Ele revela que o Ministério da Educação (MEC) pretende implantar cinco GENTEs em outros Estados brasileiros.

A finalidade de implementar as novas tecnologias em conjunto com esta nova metodologia de ensino é dar autonomia aos alunos para que desenvolvam habilidades essenciais para um mundo em constante transformação, tais como: buscar, analisar e avaliar informações e fontes; solucionar problemas e tomar decisões; e utilizar, de forma criativa, as ferramentas de produtividade. “Eu descreria o GENTE como a escola necessária para formar os líderes que precisaremos amanhã porque oferece aos jovens, hoje, uma oportunidade para desenvolverem ao máximo seus potenciais”, finaliza Parente.

O GENTE conta com o apoio das seguintes organizações: Fundação Telefônica|Vivo, Instituto Natura Intel, MSTech, Tamboro, Instituto Ayrton Senna, Instituto Conecta e Unesco. Ele integra os programas Ginásio Carioca, implantado em 2011, e Escolas do Amanhã, criado em 2009 pela Secretaria Municipal de Educação do RJ.

Alunos da Rocinha ganharam um novo espaço de ensino

 Os alunos da Escola Municipal André Urani encontraram um espaço totalmente diferente ao chegar para o primeiro dia de aula – 18 de fevereiro de 2013. A nova estrutura não tem paredes, quadros negros, carteiras individuais, nem mesmo professores tradicionais estão lá. O espaço, agora, possui grandes salões, tablets e mentores. Não houve pré-seleção. Os alunos que fazem parte dessa nova metodologia já são os matriculados na escola antes da reforma. A diferença é que, agora, as antigas séries estão extintas e não existem mais as salas de aula tradicionais. Em vez disso, os jovens – que estão entre o 7º e 9º anos – são agrupados em equipes de seis membros, chamadas de “famílias”, independentemente de sua série de origem. A formação das famílias ocorre por afinidade, a partir da escolha dos próprios membros, e pelo diagnóstico de habilidades ao qual os alunos são submetidos. No GENTE, os professores são mentores, as disciplinas eletivas (de livre escolha do aluno e também relacionadas a seus projetos de vida) e os projetos transdisciplinares, onde os alunos terão de analisar dados reais, trabalhar em grupos pré-definidos e atuar como agentes transformadores de suas realidades.

 >>Conheça mais sobre o GENTE: gente.rioeduca.net.<<

Rafael Parente - Humano, educador, pesquisador e subsecretário de novas tecnologias educacionais da SME Rio.

Rafael Parente

“Para  lidar com novas tecnologias na produção ética e responsável de riquezas, navegar funcionalmente em um novo mundo, com a responsabilidade de aproveitar oportunidades e enfrentar desafios, nossas crianças e jovens precisam, hoje, de uma formação excepcional. Eles precisarão ter auto-confiança, se adaptar em diferentes contextos, construir relacionamentos rapidamente e virtualmente, utilizar bem a sua criatividade nata e empreender. Precisarão compreender suas forças e fraquezas, emocionais e intelectuais, seus direitos e deveres na vida em comunidade e desenvolver suas potencialidades ao máximo. Precisarão ser autônomos e solidários, compreendendo nossos avanços culturais e, ao mesmo tempo, não só tolerando, mas valorizando diferenças (…)”. >> Todos pela Inovação!

Matéria publicada na editoria JM na Educação, no Jornal da Manhã (Ponta Grossa-PR), em 04 de abril de 2013.

 

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.669 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: